quinta-feira, 22 de junho de 2017

Estranhas coincidências probabilísticas



Em 1975, um acidente chamou a atenção da mídia de Bermudas, no Caribe. Um jovem de 17 anos, chamado Erskine Lawrence, foi atropelado em sua lambreta por um táxi na cidade de Hamilton. O bizarro é que aproximadamente um ano antes, naquele mesma rua, o irmão dele, à época também com 17 anos, foi atropelado usando a mesma lambreta pelo mesmo taxista, que, por sua vez, levava o mesmo passageiro.

Parece até enredo do filme “Premonição”, mas o fato é real, e para compreendê-lo nada melhor do que recorrer à Matemática. Na verdade, é impossível calcular a probabilidade de um evento como o de Bermudas ocorrer por causa da quantidade de variáveis em jogo.

Professor de Estatística da Universidade de Stanford, Persi Diaconis, criou o “paradoxo da floresta” (tradução livre) para tentar explicar eventos tão improváveis como esse. Imagine que você está na Floresta Amazônica e resolve abraçar uma árvore. A chance de você escolher uma árvore em particular é, aproximadamente, uma em um milhão, mas é 100% certo que você ira abraçar alguma árvore da floresta.

A lógica matemática por trás desse evento é a “Lei dos Grandes Números”, que, de forma resumida, diz: “Com uma amostra suficientemente grande, qualquer coisa esdrúxula provavelmente vai acontecer.” Publicada em um artigo de 1989, essa lei mostra que aquilo que pensamos ser uma enorme coincidência, na verdade, é um fato rotineiro.


Para saber mais:
Notícia de jornal de Bermuda sobre o caso dos irmãos
Methods for studying coincidences – Estudo original de 1989

1 comentários:

  • 29 de julho de 2017 23:48
    Debora alves Disse:


    Ola, meu nome é Débora e me declarei católica por vontade própria dos 12 aos 15 anos. Com 16 estava crismada, mas não via a crisma como um status de "sou católica" e sim apenas como a chance de conhecer. Descordando de muitos pontos religiosos abandonei qualquer movimento religioso, crieu em minha mente minhas crenças e gostaria de saber, sou deista?
    Eu acredito em um ser divino, que criou e nunca foi criado. Acredito que este que criou é perfeito, e por isso não causa alterações. Acredito que as pessoas atribuiram a ideia de ilusão a perfeiçao, acreditando que o mal é apenas mal, o mal muitas vezes causa o equilíbrio na verdade.
    Acredito que para conhecer um artista então que deve-se conhecer a sua arte, assim como para conhecer o criador deve-se conhecer a criação.
    O lapis vem da madeira, a madeira da arvore, a arvore da floresta e lá está o criador.
    Acredito em céu, referente ao inferno não sei exatamente o que dizer, se lucifer existe entao outros anjos também. E bem... se ele existe acredito que ele não seje de todo o mal, se Deus nao altera o mundo ele também não, o mal é culpa nossa, e se ele castiga ele castiga o mal, nao que ele goste, é seu dever. Acredito em um Deus que é amigo, ele não é um ser para eu pedir, é para agradecer, sei que quando eu morrer se algo existe ele lutará por mim, e se ele perder é por erro meu. Não me preocupo apesar disso com a morte, seja o que for que aconteça será certo. E apesar de crer em tudo também duvido, afinal se tivesse certeza seria ciência e nao fé.

    delete

Postar um comentário

 

(U.B.D) União Brasileira dos Deístas Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger